Hoje em dia é comum ouvir-se falar normal sobre divórcio; muitas sociedades o adotaram como uma ferramenta positiva para acabar com relacionamentos tóxicos. Todo casal é um mundo e um divórcio é sempre difícil mas há casos em que a situação pode se tornar mais complicada. A boa notícia é que existem certas soluções e ferramentas que podem ser muito úteis se você precisar passar por essa situação e superar um divórcio traumático.

O que define um divórcio traumático?

Antes de tudo, é importante esclarecer a diferença entre separação e divórcio, pois, no primeiro caso, não há procedimento legal para dissolver o casamento. Os membros de um casal podem permanecer "amarrados" mental ou emocionalmente após o divórcio, e é nesse ponto que reside a definição de divórcio traumático.

Em um divórcio traumático, esquece-se que cada pessoa tem controle de como ele encara a realidade ; sem nem perceber, as partes envolvidas decidem permanecer ligadas umas às outras, com o único objetivo de prejudicar a si mesmas ou pela incapacidade de avançar.

O que fazer para superar um divórcio traumático?

  • : o primeiro passo é aceitar a situação . Um divórcio geralmente traz consigo um estágio de luto, pois é o fim de um estágio importante na vida de cada indivíduo. É muito comum entrar em negação ou tentar esconder a dor com raiva ou ressentimento, mas sem dúvida o principal é aceitar e perdoar a si mesmo para perdoar os outros.
  • Rede de apoio: após um divórcio traumático, é normal sentir tristeza, confusão, cansaço, até depressão; é por isso que é aconselhável conversar e compartilhar pensamentos e sentimentos com amigos e familiares de confiança. Falar sobre o que você sente é sempre bom, permite liberar encargos emocionais e se sentir acompanhado.
  • Converse com as crianças: no caso de ter filhos, o casal não deve envolvê-los no conflito ou seja, Eles não devem usar seus filhos como mensageiros entre si e não devem falar mal dos outros pais. É importante ser honesto com as crianças e ouvir como elas se sentem, além de permitir que elas saibam que, mesmo que seus pais não morem mais juntos, eles ainda serão seus pais e podem contar com eles.
  • Cuide-se: desde um divórcio traumático Geralmente é cansativo, é aconselhável reservar um tempo para realizar atividades que devolvam o bem-estar ao corpo e à mente de cada membro do casal. Exercitar, preparar alimentos saudáveis, ler um bom livro, viajar ou escrever, pode ser altamente benéfico e ajudá-lo a se encontrar novamente.

Ajuda profissional

  • Aceite e peça ajuda profissional: cada pessoa é diferente e, para alguns, é mais difícil de superar a dor; Se uma pessoa se sente incapaz de lidar com um divórcio, não encontra alívio ao conversar com amigos ou familiares, ou se é isolada, é vital recorrer a um profissional. Os psicólogos são treinados para oferecer um espaço de contenção e orientar seus pacientes, e facilitarão as ferramentas para superar essa situação.

Um divórcio traumático é caracterizado pelo envolvimento de pessoas fora do relacionamento não saber lidar com as emoções, dar lugar ao ódio e aos insultos e trazer consigo a perda de energia, tempo e dinheiro. Aqui está a importância do autoconhecimento, aceitação e busca de ajuda.

Que outro conselho você acha que é útil para superar um divórcio traumático? Na sua opinião, quais são as principais causas do divórcio hoje?

Comentarios

comentarios