Publicado em 11/15/2018 20:51:01 CET

MADRID, 15 de novembro (EUROPA PRESS) –

O Ministro da Saúde, Consumo e Acção Social, María Luisa Carcedo, assegurou que o Plano Estratégico de Terapias Avançadas relacionadas aos medicamentos CART, aprovado nesta quinta-feira no Conselho Interterritorial do Sistema Único de Saúde (CISNS), garantirá "equidade e igualdade" no acesso a essas inovadoras terapias.

O valor do plano é que seja a introdução de uma nova era terapêutica da Medicina Personalizada e que isso seja feito de maneira ordenada. Elaboramos o modelo organizacional de como implementar essas terapias. ", disse o ministro no final do CISNS.

Os medicamentos aprovados até agora pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA) destinam-se a tratar a leucemia linfoblástica aguda em terapia de resgate (pedi átrios) e linfomas (adultos). A estratégia terapêutica consiste em extrair e tratar os linfócitos do paciente em laboratório, que, uma vez geneticamente modificados, são administrados como droga para combater as células tumorais.

Nesse sentido, Carcedo explicou que o modelo organizacional que define a O plano baseia-se em duas estruturas: a rede de centros de uso e administração desses medicamentos, que será apoiada pela Rede de Centros de Referência (CSUR); e os próprios centros de fabricação de medicamentos CART, que devem ser identificados e propostos por cada comunidade autônoma dentro da Comissão Permanente de Farmácia. "Há um grande consenso profissional, porque tem havido uma grande participação de profissionais, sociedades científicas e pacientes", afirmou.

ORGANIZAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO AO CÂNCER DE CRIANÇA

Por outro lado, o ministro destacou outro dos acordos aprovados no CISNS, a proposta sobre a organização do cuidado ao câncer infantil e adolescente. O objetivo é acordar medidas específicas a serem implementadas nas comunidades autônomas com o objetivo de melhorar o tratamento do câncer nessas populações.

Entre essas iniciativas está a criação, em cada comunidade autônoma, de um comitê de coordenação para o manejo do cuidado de todos os casos de tumores da infância e adolescência. Esse comitê terá, entre outras funções, para elaborar a oferta de cuidados da comunidade e analisar e definir os critérios clínicos de ação.

Além disso, elaborará protocolos de gestão de pacientes que incluirão, entre outras medidas, a possibilidade de solicitar uma segunda opinião. aos CSUR do Sistema Único de Saúde (SNS), protocolos de coordenação com outros recursos assistenciais, como cuidados paliativos pediátricos ou assistência domiciliar, e garantirão a transição de crianças e adolescentes para serviços de atenção ao adulto adaptados ao processo de maturação individual de cada paciente.

O CISNS também concordou em aprovar a atualização do Plano Estratégico para a Abordagem da Hepatite C no SNS e, como o ministro avançou, o objetivo é fazer um estudo para conhecer a real prevalência de a doença na Espanha. Especificamente, o Ministério informou os conselheiros regionais sobre os resultados preliminares da hepatite C da Pesquisa Nacional de Soroprevalência.

Outras medidas acordadas foram a promoção da iniciativa centralizada de compras no âmbito do SNS. Para isso, propõe-se a adoção de acordos em duas linhas: promover a participação das comunidades na iniciativa de compras centralizadas do SNS como medida de racionalização, coesão e eficiência na despesa pública e, em relação aos registros de revisão de preços. , leva em consideração que o medicamento está incluído em um procedimento de compras centralizado em vigor.

O ministro também expôs aos conselheiros independentes os planos que ela vem apresentando ao longo desta semana, como a nova rotulagem frontal. de alimento baseado em semáforos dependendo da qualidade nutritiva do alimento; o plano contra pseudoterapias, apresentado nesta quarta-feira no Instituto de Saúde Carlos III para limitar o estudo desse tipo de medicina alternativa em universidades e centros públicos; ou os critérios de distribuição de mais de 4.800.000 euros às comunidades autónomas para estratégias contra doenças raras, patologias neurodegenerativas, vigilância da saúde e mejroa do sistema de informação do SNS em 2018.

Finalmente, o Ministério e o CCAA concordou com a designação de cinco (CSUR) para: doenças tropicais importadas, Hospital Universitário Vall D'Hebrón (Catalunha), para adultos e crianças; doenças neuromusculares raras, Hospital Universitari de Bellvitge (Catalunha), para adultos; sarcomas e outros tumores musculoesqueléticos em adultos, Hospital Universitário e Politécnico La Fe (Comunidade Valenciana) e Hospital Universitário Vall D'Hebrón (Catalunha); doenças glomerulares complexas: Hospital Clinic e Provincial de Barcelona e Hospital de Sant Joan de Déu (Catalunha), para adultos e crianças.

Comentarios

comentarios