MADRID, 28 de setembro (EUROPA PRESS) –

A doença cardíaca em jovens adultos e adolescentes pode estar relacionada à exposição ao diabetes no útero, de acordo com uma nova pesquisa publicada no 'Canadian Medical Association Journal' (CMAJ).

Um estudo com jovens adultos e adolescentes em Manitoba (Canadá) cujas mães tiveram diabetes durante a gravidez descobriu que seus filhos tinham um risco 50% a 200% maior de desenvolver doenças cardíacas antes dos 35 anos do que aqueles que não tinham. exposto no útero.

"Essas observações apoiam nossa hipótese de que a morbidade por doenças cardiovasculares na adolescência e no início da idade adulta está relacionada à exposição ao diabetes materno no útero", escreve o Dr. Jonathan McGavock, do Children's Hospital Research Institute da Califórnia. Manitoba e professor associado da Universidade de Manitoba.

Os pesquisadores analisaram dados de mais de 290.000 crianças nascidas de quase 190.000 mães em Manitoba entre 1979 e 2005. Do total de crianças, 2,8% foram expostas ao diabetes gestacional e 1,1% ao diabetes tipo 2 pré-existente. A exposição a ambos os tipos de diabetes tornou-se mais comum durante o período do estudo, uma tendência observada em outras partes do mundo.

Os três diagnósticos mais comuns entre crianças expostas ao diabetes foram pressão alta (8.713 pessoas), diabetes tipo 2 (3.568 pessoas) e doença isquêmica do coração (715).

"Usando dados de quase todas as crianças nascidas em Manitoba ao longo de um período de 30 anos, descobrimos que aqueles nascidos de mães com diabetes durante a gravidez tinham 30% a 80% mais probabilidade de desenvolver um problema cardíaco e 2 a 3,4 vezes mais probabilidade de desenvolver um fator de risco para doenças cardíacas (por exemplo, pressão alta, diabetes) do que crianças nascidas de mães sem diabetes durante a gravidez ", enfatiza o Dr. McGavock.

Além disso, doenças cardíacas e fatores de risco foram diagnosticados 2 anos antes em crianças expostas ao diabetes in utero.

Estudos anteriores documentaram o aumento do risco de diabetes tipo 2, mas não de doenças cardiovasculares, devido à exposição intrauterina ao diabetes. Os autores sugerem que esses achados podem ser úteis para práticas preventivas de saúde.

"O rastreamento de fatores de risco de doenças cardiovasculares em crianças com exposição intrauterina ao diabetes pode ajudar a avaliar a carga futura relacionada às doenças cardiovasculares na população", concluem os autores.

Comentarios

comentarios