JAÉN, 11 de setembro (EUROPA PRESS) –

Um grupo científico internacional liderado pela Universidade de Jaén (UJA) projetou um método que permite saber se uma pessoa está ou não acordada quando não consegue se comunicar.

Por meio de um aplicativo de computador, eles traduzem os sinais elétricos do cérebro e dão a eles uma forma geométrica que possibilita a discriminação entre diferentes níveis de consciência e inconsciência. Esse recurso procura ser útil para a abordagem clínica de pacientes com lesão cerebral ou em coma.

Através da análise do eletroencefalograma, os pesquisadores propõem um indicador da dimensão fractal; isto é, eles traduzem as informações em uma forma geométrica, conforme relatado quarta-feira pela Discover Foundation.

"O software que projetamos cria um objeto tridimensional e medimos como ele ocupa o espaço. Por exemplo, uma folha de papel é plano inicial, mas se você fizer uma bola com ela, estará preenchendo muito mais o espaço. Isso mede a dimensão fractal ", explicou o principal autor da obra, Juan Ruiz de Miras, pesquisador da Universidade de Jaén.

Neste modelo, 69 registros da atividade do córtex cerebral de 18 indivíduos saudáveis ​​foram analisados. Todos eles foram realizados em processos que variam do estado de vigília à fase de sono lento (NREM) e sedação induzida.

O indicador baseado na dimensão fractal fornece um valor numérico em uma escala de 1 a 5. Os indivíduos geralmente têm valores baixos quando estão dormindo e altos quando estão acordados. Isso permitiu delimitar onde a linha que serve como um limiar de consciência estaria localizada nesses casos.

Isso oferece informações que podem ser transferidas para o campo da saúde, embora a técnica ainda deva ser validada em pacientes incapazes de responder a problemas sensoriais, motores ou Cognitivo Os resultados do trabalho estão disponíveis em um artigo publicado pela revista 'Computer Methods and Programs in Biomedicine', com o título 'Fractal dimension analysis of estados de consciência e inconsciente usando estimulação magnética transcraniana'.

DESAFIO NEUROCITIFICIAL

Ser capaz delimitar o estado de consciência e inconsciência é um dos atuais desafios neurocientíficos. O método de referência é a Coma Recovery Scale (CSR), um questionário psicológico que avalia uma série de indicadores com base na interação do paciente.

Como alternativa, no campo de pesquisa Estão surgindo respostas que usam o eletroencefalograma como uma fórmula não invasiva para conhecer o estado de espírito.

A proposta dessa equipe multidisciplinar, composta por cientistas da Espanha, Itália, Brasil e Bélgica, passa pela combinação do registro dos sinais do Dimensão do cérebro e fractal. Uma fórmula que foi aplicada com sucesso na abordagem de patologias como epilepsia, Alzheimer ou distúrbios do sono.

"A novidade do nosso trabalho é que processamos essas informações com um algoritmo matemático, para que possamos aplicar nossa técnica sem a necessidade de interagir com a pessoa ", disse Ruiz de Miras.

Além da aplicação prática, esses pesquisadores enfatizam que seu indicador baseado na dimensão fractal, desenvolvido com recursos públicos da União Européia, Espanha e Brasil , pode ser um recurso útil para entender melhor a relação entre o estado de consciência e a complexidade do cérebro.

Comentarios

comentarios