MADRID, 9 de dezembro (EUROPA PRESS) –

O chefe da Seção do Aparelho Digestivo e chefe da Unidade de Doenças Inflamatórias Intestinais (DII) do Hospital Clínico San Carlos de Madrid, Carlos Taxonera Samsó, destacou que SARS-CoV-2, o vírus que causa COVID-19, é capaz de colonizar o trato gastrointestinal.

"Sim, porque a proteína de pico do coronavírus tem uma alta afinidade para a enzima conversora de angiotensina 2 (ACE2), que é abundantemente expresso em células gastrointestinais. ACE2 é superexpresso no trato gastrointestinal inflamado de pacientes com DII ", explicou ele.

Por outro lado, em seu artigo 'COVID-19: características e manejo em pacientes com DII ', o especialista detalhou que o vírus SARS-CoV-2 foi identificado por PCR em amostras fecais em mais da metade dos pacientes com COVID-19 na população geral, o que sugere transmissão pela via fecal-oral.

Outro aspecto revisado por Taxoner a durante a sua intervenção, no âmbito da segunda sessão virtual do 'XXVI Simpósio Díaz-Rubio sobre o tratamento actual das doenças digestivas', foi que "em mais de 20 por cento dos doentes, o ARN viral continua a ser positivo em amostras de fezes após teste negativo em amostras respiratórias ".

Comentarios

comentarios