Publicado em 07/03/2019 11:46:52 CET

GRANADA, 7 Mar. (EUROPA PRESS) –

Investigadores do grupo de Psiquiatria Bio-Ambiental da Universidade de Granada (UGR) e o Hospital Universitário San Cecilio, dirigido pelo professor Jorge Cervilla, determinou que a prática regular de exercício físico é um fator protetor da saúde mental, demonstrando empiricamente que o ditado romano 'mens sana in corpore sano' é " cientificamente verdadeiro. "

Neste trabalho, publicado na revista científica" Journal of Affective Disorders ", os pesquisadores analisaram uma grande amostra, composta por 4.507 pessoas que participaram de um estudo epidemiológico em toda a Andaluzia (PISMA-ep Study) , em que informações foram coletadas sobre o exercício físico que realizaram, sua saúde física e seu peso.

Da mesma forma, como o UGR também relatou em um comunicado de imprensa, os participantes receberam uma bateria de chás O estudo coordenado pela UGR mostra que aqueles que praticam exercícios físicos regulares têm até 40% menos risco de desenvolver depressão do que pessoas sedentárias.

, esse efeito é maior quanto maior a regularidade e a intensidade do exercício ", explicou o coordenador deste trabalho, o professor de Psiquiatria da UGR Jorge Cervilla.

O" efeito protetor "do exercício permanece significativo. se ', de acordo com este estudo, mesmo descontando os efeitos de fatores como peso ou saúde física na depressão.

Juntamente com Jorge Cervilla, as professoras Margarita Rivera, Esther Molina e Blanca também participaram deste trabalho. Gutiérrez, além do psiquiatra Alejandro Porras e do doutor David López Chaves.

Atualmente, o grupo de pesquisa elabora um trabalho de intervenção para comparar os efeitos do exercício físico regulado com outros tratamentos de depressão, como drogas psicotrópicas ou psicoterapia, para o qual poderia resultar um tratamento coadjuvante.

Comentarios

comentarios