Os avanços na nanotecnologia revelam um potencial cada vez mais promissor para melhorar a saúde a nível molecular . Esse potencial pode ser explorado em diferentes processos e por meio de diversas “frentes de ação”. Entre eles, a possibilidade de otimizar a distribuição de medicamentos e vacinas (via adesivos e aerossóis, por exemplo) e agilizar o diagnóstico de inúmeras doenças. Aqui vamos falar um pouco mais sobre esses desenvolvimentos e como eles podem aumentar a longevidade e a qualidade de vida dos humanos. Continue lendo!

Nanotecnologia: a ciência do "mínimo"

Em termos simples, a nanotecnologia é a ciência dedicada a materiais em nível molecular ou subatômico . Seu campo de pesquisa envolve basicamente “tudo o que é muito pequeno” e é invisível ao olho humano. Para ser um pouco mais preciso, seu objeto de estudo são partículas menores que 100 nanômetros. E um esclarecimento relevante: um nanômetro corresponde a um bilionésimo de um metro.

Os avanços nanotecnológicos permitem o desenvolvimento de dispositivos e materiais compatíveis com essas dimensões (em nanoescalas). E esses desenvolvimentos "obedecem" a parâmetros bem diferentes daqueles em vigor na química e na física "tradicionais". Na verdade, eles mostram diferentes características e padrões de reatividade, resistência, condutividade e interação.

Nanotecnologias e saúde em nível molecular

O potencial das inovações nanotecnológicas é enorme para melhorar saúde em nível molecular . Por exemplo, um dos maiores desafios para a medicina atual continua sendo a incapacidade do corpo humano de absorver totalmente certos medicamentos. Ou seja, o organismo do paciente só consegue assimilar parte da dose total do medicamento administrado. O que, logicamente, reduz sua eficácia e impede respostas positivas.

Com o uso da nanotecnologia, seria possível garantir que certas doses de medicamentos são liberadas em pontos ou regiões específicas do corpo . Isso aumentaria a precisão na administração de medicamentos para diferentes doenças, potencializando seu efeito. A melhora que ocorreria no tratamento de diferentes doenças seria notável.

Mas não é tudo … Cientistas poderiam desenvolver medicamentos, com a ajuda de nanotecnologias, cujos princípios ativos são capazes de penetrar nas membranas telefones celulares. Isso, além de melhorar o prognóstico da doença, permitiria reduzir as doses administradas para atingir uma resposta eficaz.

Medicamentos via nanopartículas para o tratamento do câncer

Em países mais desenvolvidos, Os investimentos em nanotecnologia para melhorar a saúde em nível molecular já são uma realidade. A Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos aprovou recentemente a primeira geração de medicamentos distribuídos por meio de nanopartículas para o tratamento do câncer. Esses desenvolvimentos tecnológicos como bloqueadores de reparo de DNA, permitindo melhorar a sensibilidade à radiação ou quimioterapia.

Apesar de todo esse potencial a incorporação de nanotecnologias na medicina permanece complexa . Na verdade, existem especialistas preocupados com a possível toxicidade das nanopartículas para o corpo humano. Portanto, ainda teremos que esperar para falar sobre inovações nanotecnológicas aplicáveis ​​na assistência diária à saúde em nível molecular.

Comentarios

comentarios