a restrição calórica é apontada como uma estratégia poderosa para promover um metabolismo mais saudável . Seu impacto positivo na redução de marcadores inflamatórios e na prevenção de inúmeras doenças, incluindo aquelas de origem autoimune, é conhecido há anos. Hoje, um novo estudo mostra que dietas bem planejadas com restrição calórica ajudam a desacelerar o envelhecimento no nível celular. Continue lendo para saber mais!

O que é restrição calórica e como aplicá-la em nossa dieta?

A primeira coisa é deixar claro que a restrição calórica, como o jejum intermitente, não é uma dieta Em ambos os casos, estamos falando de estratégias que podem potencializar certos processos fisiológicos e metabólicos em nosso corpo, promovendo diversos benefícios.

Por sua vez, o termo "dieta" refere-se a tudo o que consumimos para nos alimentarmos. Ou seja, alimentos, bebidas, suplementos que podemos usar (ou não) para obter nutrientes importantes para o nosso corpo e, consequentemente, para a nossa saúde.

Fazer uma restrição calórica ou dietética implica reduzir o número de calorias que temos fornecer ao nosso corpo em um determinado período de tempo. Isso sem comprometer, logicamente, as necessidades nutricionais do organismo, caso contrário os efeitos se tornarão negativos.

Como restringir calorias sem prejudicar a nutrição do corpo?

Na prática, existem diferentes métodos para implementar a restrição calórica saudável . Você pode reduzir a ingestão geral de alimentos diariamente ou pode diminuir o consumo de um macronutriente específico (gordura, carboidrato ou proteína).

Outra alternativa muito popular hoje são os protocolos de jejum intermitente . . Nessa estratégia, os períodos de jejum (14h, 16h, 18h, 24h ou mais) são intercalados com “janelas” de alimentação. Assim, as refeições (e, consequentemente, a ingestão de calorias) são redistribuídas para um determinado período do dia.

Quando jejuamos paramos de consumir alimentos e bebidas que contenham calorias por um certo número de horas o que leva a uma restrição dietética. Em alguns protocolos, você deixa de consumir qualquer tipo de alimento, bebida ou suplemento com ingestão calórica, enquanto, em outros, é permitida a ingestão de determinados alimentos ou refeições que forneçam nutrientes específicos (por exemplo, caldo de osso em jejum longo, 36 horas ou mais)

Mas por que a restrição calórica ajuda a retardar o envelhecimento celular?

Esta é sem dúvida a questão mais importante: por que restringir a quantidade de calorias que ingerimos e comer menos vezes ao dia pode nos ajudar a viver mais e com uma melhor qualidade de vida?

Um especialista em saúde pública de Harvard explica em um artigo publicado recentemente na CellPress. E a chave está em um mecanismo molecular que é acionado quando fazemos uma restrição dietética . Especialmente quando restringimos a ingestão de dois aminoácidos: caseína e metionina.

Quando a disponibilidade desses aminoácidos no corpo é reduzida, a produção de H2S (sulfeto de hidrogênio) aumenta. Associado à proteção contra reperfusão e lesões isquêmicas. Além disso, em alguns animais, foi demonstrado que melhores níveis de H2S promovem maior longevidade.

Comentarios

comentarios