Publicado em 27-03-2019 14:01:19 CET

MADRID, Mar. 27 (EUROPA PRESS) –

Médicos da atenção primária, sociedades científicas, comunidades autónomas e Ministério da Saúde A saúde continua a trabalhar no plano anunciado de reformar este nível de atenção, que deverá ser aprovado na próxima quinta-feira, 4 de abril, na sessão plenária do Conselho Interterritorial do Sistema Único de Saúde (CISNS).

Segundo o presidente da Sociedade Espanhola de Médicos de Atenção Básica (SEMERGEN), José Luis Llisterri, que participou na terça-feira de uma nova reunião na sede do Ministério. Na reunião, "muito progresso foi feito" no documento apresentado pela Health às sociedades científicas, que agora têm "alguns dias" para revisar e dar sugestões.

Segundo Llisterri, a aprovação final de todos os agentes envolvidos acontecerá no dia 4 de abril, quando as tarefas dos três grupos de trabalho formados 'ex profeso' em 16 de novembro estiverem concluídas. Por um lado, existe um grupo de profissionais da atenção primária; por outro, institucional, com representantes das comunidades autónomas e especialistas em saúde; e, finalmente, outro paciente do Sistema Nacional de Saúde (SNS).

"Esperamos aprovar o que sugerimos no Fórum dos Médicos da Atenção Primária: maior orçamento, um contrato para residentes do quarto ano de pelo menos dois anos, medidas para incentivar o meio rural, e reconhecimento da pesquisa, medicina de família na universidade. Estas propostas são resumidas em dois: orçamento e vontade política ", disse o presidente da SEMERGEN, que tem participado ativamente neste

Carcedo apresentou o primeiro projeto do novo plano na última quarta-feira aos conselheiros regionais, que visa consolidar e melhorar o papel dos profissionais de Medicina da Família no SNS. O documento está estruturado em seis estratégias: reforçar o compromisso da Saúde com a liderança da Atenção Básica, consolidar uma política orçamentária e de recursos humanos que garanta efetividade e qualidade, além de melhorar a capacidade de resolução e coordenação com outras áreas. assistência, serviços e instituições.

Além disso, outras estratégias incluídas no documento referem-se ao aprimoramento do uso de tecnologias de informação e comunicação médicas, fortalecimento da orientação da comunidade, promoção e prevenção da saúde em PA e por fim, promover a formação e a pesquisa na Medicina de Família.

"A Atenção Básica é realizada por especialistas em Medicina de Família e Comunidade, além de enfermagem especializada, que requer treinamento no mesmo nível de ensino. que o resto das especialidades que compõem o SNS, temos que elevar o papel e a função e o PA realiza em nosso SNS em todos os níveis de graduação, pós-graduação, ensino e pesquisa ", ressaltou o ministro na entrada dessa reunião extraordinária.

Além disso, o documento também propõe dimensionar os modelos de profissionais com critérios que garantam que as cotas dos pacientes estejam relacionadas às características demográficas e epidemiológicas da população.

Tudo isso visa aliviar as deficiências que os profissionais têm denunciado nos últimos meses neste nível de atenção, chegando até a alcançar convocar greves, manifestações e greves para tornar esta situação visível em toda a Espanha. Segundo o ministro, esses problemas devem-se, entre outros motivos, ao fato de as características da população e da epidemiologia, ou seja, do que os cidadãos são doentes, serem "muito diferentes" das da década de 1980, quando modelo atual.

Comentarios

comentarios