MADRID, 16 de dezembro (EUROPA PRESS) –

Dados de mortalidade parcial na Espanha de janeiro a maio, apresentados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), colocaram o câncer de pulmão como o tumor mais mortal de 2020, sendo a causa de 9.143 mortes nos primeiros cinco meses do ano e acumulando quase 20 por cento de todas as mortes por câncer.

Além disso, outra informação refletida no relatório é que o câncer de pulmão duplica em número de mortes para o próximo tumor que causou o maior número de mortes nestes meses de 2020. "O câncer de pulmão é uma verdadeira pandemia que está deixando um grande impacto em nossa sociedade. Embora a maioria dos pacientes com Covid-19 estejam curados, este não é o caso desta neoplasia ", assegura o presidente do Grupo Espanhol de Câncer de Pulmão (GECP), Dr. Mariano Provencio.

PRIMEIRA CAUSA DE MORTE EM HOMENS

Além disso, os pesquisadores do GECP se destacam desta INE informa que, Sem o impacto da Covid, o câncer de pulmão seria classificado como a quarta causa de morte globalmente em ambos os sexos e a primeira entre o gênero masculino, acima das doenças cardiovasculares. No total, na Espanha, a cada ano, cerca de 23.000 pessoas morrem de câncer de pulmão.

"Embora a ameaça da Covid-19 seja uma realidade em nosso país, o câncer e, portanto, o câncer de pulmão também são um uma pandemia que mata milhares de espanhóis todos os anos ", disse Alberto Ruano, professor de medicina preventiva e saúde pública da Universidade de Santiago de Compostela e chefe de Epidemiologia do GECP. "Precisamos continuar investindo para minimizar seu impacto", declarou ele.

MEDIDAS PARA CONTINUAR A ADICIONAR AVANÇOS

Diante dessa situação, os especialistas do GECP solicitam medidas urgentes no atendimento, tratamento e investigação da patologia. “Não queremos que os avanços de sobrevivência que alcançamos até agora sejam prejudicados e sem dúvida a Covid-19 está tendo um impacto em termos de diagnóstico e pesquisa”, explica o presidente do GECP.

Nesse sentido, o GECP, um pilar básico é a prevenção do tabagismo. “Devemos iniciar mudanças legislativas em 2021 para dificultar o acesso ao tabaco, especialmente em termos de novos produtos e derivados, como os cigarros eletrônicos e passando por um aumento da tributação do tabaco”, pontua Provencio.

Como eles apontam. Desde o GECP, 80% dos tumores de pulmão poderiam ser evitados com a cessação desse hábito. “Sem dúvida, para esse tumor, que é o mais mortal, já temos uma vacina eficaz e eficaz, que é parar de fumar”, conclui Alberto Ruano.

Comentarios

comentarios