A síndrome do sotaque estrangeiro é um distúrbio da fala uma doença rara e muito rara. Na história da medicina, foi registrado pela primeira vez em observações feitas pelo neurologista francês Pierre Marie em 1907. Posteriormente, um caso bem conhecido foi o de um cidadão norueguês que sofreu um ferimento na cabeça em um bombardeio aéreo da cidade. Segunda Guerra Mundial. Depois de se recuperar da lesão, a mulher começou a falar, inexplicavelmente com um sotaque que parecia alemão. O desconhecimento da doença fez com que fosse considerada espiã a serviço do nazismo.

Como se manifesta a síndrome do sotaque estrangeiro?

Para quem não conhece a síndrome do sotaque estrangeiro, a fala de quem a sofre pode ser engraçado. No entanto, ele contém trauma que causou dano cerebral . Quando as áreas do cérebro responsáveis ​​pela capacidade de falar são afetadas, a pronúncia é perturbada. Isso causa a sensação de que quando a pessoa afetada fala, ela está falando com um sotaque estrangeiro.

Na verdade, é uma mudança na pronúncia, não no sotaque. Não é que a pessoa adote um sotaque diferente, de outra língua. O que acontece é que o ritmo, a segmentação, a fonação e o acento são alterados e a fala torna-se estranha. Os ouvintes frequentemente atribuem essas mudanças a uma mudança no sotaque. É daí que vem o nome.

Quando a pessoa começa a manifestar a síndrome, começa a falar mais devagar . Perde a espontaneidade e a fluência verbal, usa frases mais curtas e simples, pronuncia mal as vogais e consoantes.

Causas da síndrome do sotaque estrangeiro

A síndrome do sotaque estrangeiro pode ter sido causada por um acidente vascular cerebral ou de um ferimento na cabeça por exemplo, de um acidente de carro. Várias pequenas lesões podem produzir a síndrome.

Os casos observados estão associados a lesões no hemisfério esquerdo do cérebro . Neste hemisfério estão as áreas que participam da automação de comportamentos complexos, como a fala. Alguns médicos atribuíram alguns casos a fatores psicológicos, uma vez que nenhum dano físico ou fisiológico foi detectado.

A síndrome do sotaque estrangeiro foi curada?

A síndrome pode desaparecer por si mesma após algumas semanas. ou meses. No entanto, em algumas pessoas, torna-se crônica e o tratamento é necessário.

O tratamento para essa síndrome visa restaurar a fluência verbal do paciente . Tem como foco os exercícios de reeducação auditiva e sensorial e de fonação. Há alguns anos, cientistas da Universidade de Málaga incluíram o donezepil, um medicamento usado para o Alzheimer, no tratamento. Foi observada uma recuperação mais rápida nos pacientes.

Se você estiver perto de alguém que apresente os sintomas descritos, aconselhe-o a consultar um médico. Embora não seja uma doença com risco de vida, ela afeta o paciente psicologicamente. Portanto, ele insiste em receber tratamento. Como ocorre com outras patologias, quanto mais cedo o tratamento eficaz for iniciado, mais cedo os sintomas da síndrome do sotaque estrangeiro serão corrigidos.

Comentarios

comentarios